sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

AS VEZES O PROBLEMA DE SUA HORTA É O PH E NÃO NA ADUBAÇÃO.

Eu muitas vezes penei pra saber, quebrei a cara por não conhecer a importância, pois vamos falar da Umidade do Solo da sua Horta, Ph que
significa Potencial de hidrogênio. Então, o PH correto é tão bom quanto uma boa adubação, muitas adubação são perdidas por conta de um PH errado, pois bem, isso por que o Ph é o meio em que as raízes de uma planta se encontra em contato com o solo, o solo pode esta com o ph muito ácido ou muito básico isso vai fazer toda diferença pra as raízes de uma planta captar seus nutrientes do solo. quero aqui explicar um pouco o que é de fato o ph por que esses dados precisa esta enfiado em nossa mente e esta muito bem implantado na cabeça das pessoas. Eu muitas vezes penei pra saber que minha horta tava com um ph ácido e eu muitas das vezes arrochava-lhe adubo um monte de adubo mesmo, piorando a situação, quanto mais colocava adubo mais as plantas não se desenvolvia, não dava fruto, nem mesmo aflorava, caia suas flores antes mesmo de abri,
por exemplo, o ph tem uma escala de 0 a 14 sendo que o 0 seria um ácido extremamente ácido, isso é muito difícil você colocar um medidor na terra e encontrar um ácido puro pra você ter ideia de um ácido puro, exemplo de um meio bastante ácido é o ácido de bateria o sulco gástrico e o limão, o Ph estando em 14 é extremamente básico um exemplo de um meio bastante básico é a solda caustica, agua sanitária e o amoníaco que é extremamente básico geralmente se encontra no solo uma média de 3,5 a 8, também se o solo for muito básico é um solo que tem uma decomposição a extremo que também atrapalha a
planta se desenvolver isso quase apodrecendo as ciosas, então, como o meio de 0 a 14 é 7 as plantas gostam desse 7 que é um
ph neutro, o neutro vai de 6,5 a 7,5 já um exemplo de um meio neutro que se encontra por ai é a agua potável, uma agua pura é extremamente neutra tem um ph 7 o leite por exemplo um dos alimentos que consumimos é levemente ácido a saliva um pouquinho pra o básico mais são considerado neutro, é isso, tem pessoas que tem uma horta em casa e tão passando por problema principalmente com frutíferas é que as vezes o problema de sua horta é o ph e não na adubação.

domingo, 25 de dezembro de 2016

UM DIA LÚDICO PROMOVIDO PELO PROJETO VIDA DO SOLO, É DE GINGADO A ACROBACIA A CULTURA AFRO-BRASILEIRA GANHA DESTAQUE NA COMUNIDADE DE MUCAMBO.


Um dia lúdico na comunidade de Mucambo.
De Riachão do Jacuípe, Ichu a Conceição do Coité, o espaço de formação do Projeto de Educação Ambiental Vida do Solo foi palco de um grande espetáculo 
Foto Oficial; Projeto Vida do Solo.
 de acrobacias aéreas e no solo dos professores e alunos de Capoeira de vários grupos de roda de capoeira da região, Professor Anilto com seus alunos da comunidade de Sitio Novo, apoiado pelo professor Junior de Queimada do Cedro, professor Carlinho e sua equipe, professor Camaleão nome artístico assim é chamado dando sua contribuição o Luiz Carlos ambos de Cansanção Conceição do Coité, professor Índio e todos os alunos presente abrilhantaram hoje dia 25 de Dezembro de 2016, um dia Lúdico muito especial, um Natal feliz um natal diferente tivemos a participação da comunidade os pais prestigiaram o evento, assim o Projeto Vida do Solo e toda sua equipe agradece em especial ao aluno formado (aluno professor) a pessoa de Manoel Geone o Nego como é conhecido, pela sua iniciativa de cria uma roda de capoeira na comunidade de Mucambo e o projeto Vida do Solo dando o maior apoio a essa cultura esse esporte, Capoeira  é lazer é cultura e é educação.                                                                              

Uma das expressões culturais brasileiras mais conhecidas é a capoeira. A capoeira é desenvolvida principalmente por descendentes de escravos africanos, mistura a arte marcial, o esporte, a cultura popular e a música. Sua principal característica são os golpes e movimentos complexos feitos de forma bastante ágil. Os jogadores utilizam além dos chutes e rasteiras, cabeçadas, joelhadas, cotoveladas e acrobacias aéreas ou no solo. Outro fator importante que distingue a capoeira da maioria das artes marciais é a sua musicalidade. Quem a pratica aprende a lutar, a jogar e também a tocar os instrumentos típicos e a cantar. Em 2008, a Roda de Capoeira foi registrada como bem cultural pelo IPHAN e em 2014, recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO                                                                                                                                                                    Da África ao Brasil: a origem da capoeira,

 Foto; Projeto Vida do Solo, Roda de capoeira gingado e acrobacias
Não existe uma história escrita para dar suporte e credibilidade ao surgimento e à origem da capoeira. Alguns estudiosos a descrevem como uma “dança da guerra”. Nessa linha de pensamento, dá para fazer um resumo da história da capoeira dessa forma: Pode-se dizer que ela começa mais ou menos em meados do século XVI, na época em que o Brasil era colônia de Portugal. Os escravos africanos eram bastante úteis para os brasileiros como forma de mão-de-obra, principalmente para os senhores de engenho do nordeste. A maioria deles era da região de Angola, que também era colônia portuguesa. No seu país de origem, os angolanos faziam danças ao som de muita música. Como eram coibidos pelos seus donos a fazer qualquer tipo de arte marcial, a capoeira foi uma forma de disfarce. Aos olhos dos patrões, era uma dança dissimulada, parecendo ser um jogo ou coisa do tipo. Ao chegarem ao Brasil, os africanos eram alvos constantes de práticas violentas e castigos dos senhores de engenho. Numa tentativa de fuga das fazendas, eram perseguidos e mal tratados pelos capitães-do-mato. Com isso, perceberam a necessidade de desenvolver formas para se proteger dessa repressão. Logo, utilizaram o ritmo e os movimentos de suas danças africanas e adaptaram-na a um tipo de luta. Assim surgia a capoeira, uma arte marcial disfarçada de dança, instrumento muito importante da resistência física e cultural dos escravos.                           

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

FRUTAS, LEGUMES E VERDURAS CONGELADAS SÃO SAUDÁVEIS?

Frutas, legumes e verduras congelados são saudáveis? 
Geralmente Frutas e verduras encontradas no mercado são colhidas antes de chegar ao ponto de maturação. Isso significa que ao fazer a colheita elas não ficaram totalmente maduras, os agricultores evitam danos durante o transporte até os pontos de comercialização. E continuam perdendo nutrientes durante todo o tempo que passam na prateleira do supermercado, ou seja, até o momento de serem consumidos.
Se por um lado há um ganho na conservação dos alimentos, por outro eles não alcançam seu nível nutricional máximo pois são colhidos precocemente. É comum ouvir de alguns consumidores de falar que os alimentos congelados sofrem uma perda de qualidade e menor nível nutricional. A verdade é que não existem razões para que uma cenoura congelada seja menos nutritiva que uma fresca. Se as verduras e legumes passarem pelo processo seguindo os procedimentos recomendados pelas autoridades de vigilância alimentícia, também poderão conservar o sabor e a textura. Mas algo é real: qualquer processamento de alimento sempre faz com que ele sofra alguma alteração já que frutas legumes e verduras são alimentos vivos.
     O congelamento, por exemplo, pode levar à perda de algumas das qualidades organolépticas  como (cheiro, textura, sabor e cor). Mais as perdas serão mínimas se o processo for realizado de forma adequada. O que se recomenda é que as pessoas consumam alimentos frescos produzidos na região em que vivem sempre que possível. Se o acesso a produtos frescos – e maduros – colhidos localmente não é possível, é aí que os congelados surgem como uma boa alternativa.  
     Então, surge a técnica do Ultracongelamento - As frutas, verduras e legumes que serão congelados geralmente são colhidos em seu ponto certo de maturação. E passam pelo processo de forma quase imediata.

Antes são mergulhados rapidamente em água fervendo, que seja congelados o mais rapidamente possível a temperaturas que alcançam os 40 graus negativos, o que leva a uma maior conservação de sabor, textura, cor e cheiro. Com essa técnica, os micro-organismos potencialmente nocivos são mortos e a vida útil do alimento aumenta segundo especialistas. Além disso, continua com 100% de seu conteúdo nutricional.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIENTE: CONHEÇA A IMPORTANCIA DE CADA UM.

Fertilidade é a capacidade do solo de ceder nutrientes para as plantas. A fertilidade do solo pode ser dividida em quatro tipos:

a) Fertilidade Natural: É a fertilidade decorrente do processo de formação do solo: material de origem + ambiente + organismos + tempo. Fertilidade de um solo nunca trabalhado.
b) Fertilidade Atual: É a fertilidade do solo após a ação antrópica (do homem). Fertilidade após práticas de manejo que visam fornecer nutrientes para as culturas por meio de correção e adubação mineral ou orgânica.
c) Fertilidade Potencial: É a que pode se manifestar a partir de determinadas condições. Nesse caso, alguma característica do solo pode estar limitando a real capacidade do solo em ceder nutrientes para as plantas. Ex.: Solos ácidos.
d) Fertilidade Operacional: É a fertilidade estimada a partir da determinação dos teores de nutrientes no solo por determinados extratores químicos. Nem sempre a fertilidade operacional é exatamente a fertilidade natural ou a atual do solo. Elas se correlacionam, mas podem não ser exatamente iguais.

Para que as plantas se desenvolvam normalmente, alguns fatores são indispensáveis: temperatura, luz, ar, água, nutrientes, etc. Os nutrientes são elementos químicos essenciais ao desenvolvimento das plantas. Carbono (C), hidrogênio (H) e oxigênio (O) são elementos essenciais para as plantas, constituindo 90 a 96 % dos tecidos vegetais. Entretanto, não são considerados no estudo da fertilidade do solo, pois são, prioritariamente, fornecidos pelo ar e pela água. Para a fertilidade do solo os nutrientes são classificados como:
a) Macronutrientes primários: nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K).
b) Macronutrientes secundários: cálcio (Ca), Magnésio (Mg) e enxofre (S).
c) Micronutrientes: boro (B), ferro (Fe), zinco (Zn), manganês (Mn), cobre (Cu), molibdênio (Mo) e cloro (Cl).
Os nutrientes absorvidos em grandes quantidades pelas culturas são considerados macronutrientes. Aqueles absorvidos em menores quantidades, são considerados micronutrientes. No entanto, todos são essenciais e a deficiência de apenas um deles, pode prejudicar o desenvolvimento normal das culturas e, consequentemente, sua produção.

A subdivisão entre macronutrientes primários e secundários é apenas uma questão de marketing industrial, dado o advento das formulações N-P-K. Mas, não há qualquer relação com a importância dos nutrientes, uma vez que todos são essenciais e absorvidos em grandes quantidades.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

DIETA ALIMENTAR DE RUMINANTE UTILIZANDO PALMA COMO PRINCIPAL NUTRIENTE.

NO INVERNO UM PERÍODO CHUVOSO SÓ QUE JÁ ESTA CHEGANDO A RETA  FINAL; 
Estamos aproximando de uma temporada com menos disponibilidade de formação de forragem, pouco alimentos disponível para nosso rebanho bovinos caprinos e ovinos, aproximando de um período um clima mais próximo de verão que é a Primavera, as chuvas vão diminuir a temperatura vai se elevar e alguns agricultores já usando a reserva estratégia disponível na propriedade, ou seja, o quintal de palma, isso nos traz uma preocupação justamente da forma de que muitos agricultores fornecem essa reserva essa palma ao seu rebanho, e hoje vamos trabalhar uma dieta alimentar para ruminante fornecendo palma e balanceando o índice de matéria seca para uma boa digestibilidade. Vamos começar trabalhar pela dieta de uma Cabra ou uma Ovelha ela precisa de no mínimo de 3% de matéria seca dentro de sua dieta alimentar, então, vamos trabalhar a possibilidade de uma cabra ou de uma ovelha pesando 50kg de peso vivo:

Uma Cabra ou uma Ovelha de 50kg de P.V ela precisaria ingerir em media 16kg de palma inatura para atender sua necessidade de M.S que é de 1,5/diário,  isso é muito volume pra um animal de pequeno porte seria impossível, geralmente se fornece uma media de 6,5 a 10 kg de palma inatura/dia isso só fornecera 650g a 1 kg de matéria seca, e um animal de grande porte uma vaca, que essa vaca vamos considerar que ela possui 450 quilos de P.V que é uma unidade animal (U.A) e ela precisa de no mínimo de 3% de matéria seca dentro de sua dieta alimentar, então, 450x3%= 13,5 de matéria seca necessária, fornecendo palma inatura ela precisaria de no mínimo 135 kg diário para alcançar essa porcentagem de matéria seca isso seria impossível

Geralmente fornecemos uma media de 30 a 40 Kg de palma dia/vaca, se essa palma tem 10% de matéria seca isso teria apenas 3 a 4 kg dos 30 ou 40 kg de palma inatura fornecida então precisaria de você fornecer mais 4,900 de Silagem de milho ou capim Buffel senão 5,100 kg de capim elefante. Mais 1% de concentrado que chega a 4/500 Kg Isso para bovino.